Arquivo da tag: Natal

Reflexões de Esperança para o Natal

“Todos os que estão na praça regurgitam a ideia de um além do homem. Todos querem ser o ultimo homem. (…) Que é amor? Que é criação? Que é nostalgia? Que é estrela? – Assim pergunta o último homem e … Continuar lendo

Publicado em Filosofia, Passagem das Horas | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Frases de Dezembro (por Antônio Maria)

“Dezembro é o mês de uma infinidade de frases, que se repetem em todos os anos, sempre as mesmas. Vamos lembrar algumas, que estão sendo ditas, desde o dia 1º.: “O ano passou num abrir e fechar de olhos” “Você … Continuar lendo

Publicado em Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Feliz JazzTown

Como última postagem do odioso Natal, celebração da culpa onde uma amarga tristeza se traveste de uma caricata alegria e um recitado sentimento de confraternização universal que se contradiz a cada mínimo gesto, apresento o Jazz, sempre ele, sobretudo ele … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Amor, Ódio e Ignorância, Fraternidade, Jazz, Música, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Natal com Maria (3)

FRASES DE DEZEMBRO (por Antônio Maria) “Dezembro é o mês de uma infinidade de frases, que se repetem em todos os anos, sempre as mesmas. Vamos lembrar algumas, que estão sendo ditas, desde o dia 1º: “O ano passou num … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, Diário, Ec-sistire, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Poema (Anti)Natalino (por Fernando Mota)

NONEL por Fernando Mota “Um dia serei Natal Liberto desse comércio Sem shopping cheque cartão Guichê no aperto de mão Lucro na pele do abraço. Um dia serei estrela Ser sem comércio, poeira Dust stardust compasso. Raio no azul da … Continuar lendo

Publicado em Ec-sistire, Literatura, Poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Natal com Maria (1)

Fragmento de CANÇÃO DE FIM DE ANO (por Antônio Maria) (…) “Sou o homem real, que sua, que mente, que disfarça, que teme, que inveja e cobiça. Tive e tenho os meus momentos de suicida. Não gosto que me conheçam … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Ec-sistire, Passagem das Horas | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Cartão de Natal (por João Cabral de Melo Neto)

“Pois que reinaugurando essa criança pensam os homens reinaugurar a sua vida e começar novo caderno, fresco como o pão do dia; pois que nestes dias a aventura parece em ponto de vôo, e parece que vão enfim poder explodir … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Ec-sistire, Passagem das Horas | Marcado com , , , | Deixe um comentário