Herói

Ao contrário da era de luzes que anunciaram os iluministas, entramos na era da estupidez, da demagogia, da cafonice intelectual, da burrice como mérito e da criação de um imenso rebanho humano. Nietzsche acertou todas as suas previsões: em todos os tempos houveram intranquilos, embusteiros, desqualificados, mas em nenhuma outra época a má índole se…

Carta de Claudio Ulpiano a Seus Alunos

PARA MEUS ALUNOS DE TÃO POUCOS DIAS Foram cursos diferentes, identificados pelo mesmo espírito: o da invenção e o da criação. Falei-lhes de amantes que só oferecem às suas amadas, o amor; o amor do corpo expressivo. Falei-lhes de orquídeas, enamoradas de vespas e de pássaros que cantam para o crepúsculo. Mostrei-lhes as trevas barrocas…

Filosofia (por Ascenso Ferreira)

  * Filosofia (Narrado por Chico Anysio) “Hora de comer — comer! Hora de dormir — dormir! Hora de vadiar — vadiar! Hora de trabalhar? — Pernas pro ar que ninguém é de ferro!”

Futebol dos Filósofos

Do fundo do baú do genial grupo inglês Monty Python vem essa esquete que expressa maravilhosamente o que aqui já se disse sobre o Satiricômico. Demonstra também que a bola, como já disse um jornalista, corre mais que os homens, mais que todos os homens.

O Refúgio da Cultura (por Éric Laurent)

Os vídeos abaixo foram publicados no site do VIII Congresso da Associação Mundial de Psicanálise (AMP), da qual o Psicanalista Éric Laurent é atual delegado e ex-presidente. Os vídeos, embora publicados no YouTube, são de exibição privada somente para quem tem os links, já que os mesmos não aparecem nas consultas ou em canais. Para…

Um Vestido Para Cobrir nossa Solidão

Psicanálise, Filosofia e Poesia estão juntas, se co-pertencem     cruel- mente. Quando enlaçadas de modo borromeano dizem do ser do homem. Embora não sejam saberes harmônicos no sentido de que uma possa necessariamente ser dedutível da outra, ao seu modo falam do homem naquilo que lhe é mais próprio no exercício cotidiano de seu estar aí….

A queda e a errância ou “como assim não há relação sexual”?

Num trecho célebre de Ser e Tempo (uma das obras máximas de nossa época), Martin Heidegger usa a metáfora da queda (de-cadência/verfallen) para exprimir a existência humana. O termo decadência não exprime nenhuma avaliação negativa: implica antes numa espécie de determinação existencial constituindo, no seio de seu movimento, características do Ser do Homem. Num momento…

Shakespeare: o próprio cofre de chumbo

Shakespeare é sem dúvida uma das maiores descobertas de minha vida. Dentre todas as construções humanas desde a utilíssima roda até a subutilizada internet (que nos dotou de uma irrestrita capacidade comunica- tiva independente- mente de haver o que ser comunicado) a mais extraordinária é, possivelmente, a sua obra imensa. Talvez como em nenhum outro…