Jommond Drubim

Os grandes autores deixam uma obra imortal em lugar de suas inconvenientemente fugazes vidas. Elas, as obras, pasto macio de nosso conforto, mais do que uma compensação à vida que carreia consigo a morte, configura-se em uma continuidade extra-mundana: presente de madureza, um cristal de imortalidade. De nosso passo tão pouco caprichoso talvez não reste…

Carta a um amigo enfermo

Queridíssimo amigo, Sua mensagem me enche de alívio pelo que comporta de auspiciosa quanto ao afastamento do que (me parece) de mais grave poderia implicar em um diagnóstico. Afastada a tumoração, entendo que muito provavelmente o outro diagnóstico (qualquer que seja) será tratável e curável. Tenho plena certeza (e sei que falo pela boca de…

Fragmento de Sertão

“Eu estava de sentinela, afastado um quarto-de-légua, num alto retuso.  Dali eu via aquele movimento: os homens, enxergados tamanhinho de meninos, numa alegria, feito nuvem de abelhas em flor de araçá, esse alvoroço, como tirando roupa e correndo para aproveitaremde se banhar no redondo azul da lagoa, de donde fugiam espantados todos os pássaros –…

Graciliano Ramos no IMS

O Instituto Moreira Salles nos presenteia com a narração de preciosos fragmentos de Graciliano Ramos que empapam nossa alma dos recônditos ensolarados do Sertão Graciliano. O Sertão é o mundo e para nossa literatura representa o mesmo que o Mar para a literatura portuguesa e que Melville (português nascido em Nova Iorque) tão bem resumiu:…

Mães: origem e fim do mundo

Hoje, no dia das mães, celebramos aquela associada à vida: a porta do mundo por onde o adentramos em uma fantasia coletiva de ponto de convergência e segurança tão bem expressa por Guimarães Rosa no fragmento abaixo. “Mas Diadorim mais não supriu o que mais não explicava. E, quem sabe para deduzir da conversa, me perguntou:…

Palavras de Passarinho

Do latim vita, vida é um conceito que herda a complexidade do fenômeno ao qual se refere: difícil de se definir, difícil mesmo de se determinar seus contornos suficientes e necessários. Seguindo as definições clássicas (de movimento, metabolismo e interação com o meio) uma estrela ou um vulcão estariam tão vivos quanto você ou eu….

Campo Geral (por Guimarães Rosa)

“Quem quiser saber meu nome carece perguntar não: eu me chamo lenha seca, carvão de barbatimão…” “Amarro fitas no raio, formo as estrelas em par, faço o inferno fechar porta, dou cachaça ao sabiá, boto gibão no tatu, calço espora em marruá; sojigo onça pelas tetas, mò de os meninos mamar!” “Ô ninho de passarim,…

Luar (por Guimarães Rosa)

“De brejo em brejo, os sapos avisam: -A lua surgiu!… No alto da noite as estrelinhas piscam, puxando fios, e dançam nos fios cachos de poetas. A lua madura Rola,desprendida, por entre os musgos das nuvens brancas… Quem a colheu, quem a arrancou do caule longo da via-láctea?… Desliza solta… Se lhe estenderes tuas mãos…

Escricantores: James Joyce no Sertão de Guimarães Rosa

Emito aqui uma promissória para meus leitores: trazer a este blog algo sobre a relação entre James Joyce e Guimarães Rosa. Abro, entretanto, vosso apetite (que espero ser voraz) com dois fragmentos de O Burrinho Pedrês, texto de Sagarana, do nosso profeta mineiro e um de James Joyce. Todos bem expressivos do estilo que sustenta…

Oração de Fazer Poeta

Meu caro Santo Drummond Bandeira de São Manuel, Carente está meu papel D’um verso denso e bom. Com métrica, rima e som Mandai-me do último céu, Um verso talhado a cinzel Oh Santos da letra do dom. Se a Moderna prece é centelha Guimarães santo não nega A quem do Sertão se ajoelha Valei-me oh…