Arquivo do mês: setembro 2012

Mudança

Cientistas experimentados descobriram, após vários anos e bilhões de dólares investidos em pesquisa, uma partícula chamada Bóson de Higgs: uma estrutura subatômica que pode revolucionar a medicina, as físicas quântica e nuclear, as pesquisas espaciais e a compreensão sobre a … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Poesia | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Pastelaria (por Mário Cesariny)

Em homenagem à vida, esse imenso pastelão azedo, uma bela gargalhada em forma de poesia. PASTELARIA (por Mário Cesariny) “Afinal o que importa não é a literatura nem a crítica de arte nem a câmara escura Afinal o que importa … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Amor, Ódio e Ignorância, Ec-sistire, Fraternidade, Mundo, vasto mundo..., Poesia, Vida na Polis | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

Mar Bravo (por Manuel Bandeira)

“Mar que ouvi sempre cantar murmúrios Na doce queixa das elegias, Como se fosses, nas tardes frias De tons purpúreos, A voz de minhas melancolias: Com que delícia neste infortúnio, Com que selvagem, profundo gozo, Hoje te vejo bater raivoso, … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Mundo, vasto mundo..., Vida na Polis | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Aos amigos da Psicanálise

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Literatura, Poesia, Psicanálise, Vida na Polis | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Campo Geral (por Guimarães Rosa)

“Quem quiser saber meu nome carece perguntar não: eu me chamo lenha seca, carvão de barbatimão…” “Amarro fitas no raio, formo as estrelas em par, faço o inferno fechar porta, dou cachaça ao sabiá, boto gibão no tatu, calço espora … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Literatura, Poesia | Marcado com | Deixe um comentário

Luar (por Guimarães Rosa)

“De brejo em brejo, os sapos avisam: -A lua surgiu!… No alto da noite as estrelinhas piscam, puxando fios, e dançam nos fios cachos de poetas. A lua madura Rola,desprendida, por entre os musgos das nuvens brancas… Quem a colheu, … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Literatura, Poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

À Une Raison (por Arthur Rimbaud)

“Un coup de ton doigt sur le tambour décharge tous les sons et commence la nouvelle harmonie. Un pas de toi, c’est la levée des nouveaux hommes et leur en-marche. Ta tête se détourne : le nouvel amour ! Ta … Continuar lendo

Publicado em Corpo, Ec-sistire, Literatura, Poesia | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário