Arquivo da tag: Vida

Saravá, Vinícius

Vinícius completa hoje 100 anos de seu nascimento e 95 de poesia. Em sua precocidade, talvez ciente do muito a ser feito no fornecimento da beleza com que iria nos cercar, inicia-se poeta aos 5 anos, com caderninho de poemas … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Música, Poesia | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

História (sempre) mal contada… (por Mia Couto)

“História de um homem é sempre mal contada. Porque a pessoa é, em todo o tempo, ainda nascente. Ninguém segue uma única vida, todos se multiplicam em diversos e transmutáveis homens. Agora, quando desembrulho minhas lembranças eu aprendo meus muitos … Continuar lendo

Publicado em Conto | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

Palavras de Passarinho

Do latim vita, vida é um conceito que herda a complexidade do fenômeno ao qual se refere: difícil de se definir, difícil mesmo de se determinar seus contornos suficientes e necessários. Seguindo as definições clássicas (de movimento, metabolismo e interação … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Belas Artes, Literatura | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Eu sei, mas não devia (por Marina Colasanti)

“Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas, Vida na Polis | Marcado com , , , , , , , , | 4 Comentários

A Partida (por Augusto Frederico Schmidt)

“Quero morrer de noite. As janelas abertas Os olhos a fitar a noite infinda Quero morrer de noite. Irei me separando aos poucos Me desligando devagar. A luz das velas envolverá meu rosto lívido. Quero morrer de noite. As janelas … Continuar lendo

Publicado em Corpo, Ec-sistire, Música, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas, Poesia | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

O Herói Sujo

A echarpe e o chapéu coco seriam insuficientes, mas eram todo o arsenal de que Olia Ginsburg dispunha para lutar contra o inverno parisiense que naquele ano havia reinado rigoroso pelos domínios gauleses. Com estes atravessara a cidade em direção … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Amor, Ódio e Ignorância, Cinema, Crônicas, Música | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Arco-Íris (por Ascenso Ferreira)

“-Como é bonito! Como é bonito! Cheio de cores… cheio de cores… -Viva o Arco-Íris! – ecoa um grito. -Oh! Como é belo! Tem sete cores… -Está bebendo água no riacho! -Vamos cercá-lo… vamos cercá-lo -Vamos passar nele por baixo! … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Passagem das Horas, Poesia, Tempo | Marcado com , , , , | Deixe um comentário