Passado Presente

Garimpando a mina funda do tempo a procura de alguma pepita que servisse de matéria para uma postagem me deparou com uma antiga lembrança infantil. Quando criança uma professora perguntou a toda a turma o que cada um queria da vida quando adulto. Eu, menino entre amendoeiras, em uma cidade do interior cercada por Serras…

Natal com Maria (3)

FRASES DE DEZEMBRO (por Antônio Maria) “Dezembro é o mês de uma infinidade de frases, que se repetem em todos os anos, sempre as mesmas. Vamos lembrar algumas, que estão sendo ditas, desde o dia 1º: “O ano passou num abrir e fechar de olhos” “Você reparou quanta gente conhecida morreu este ano?” “E todas…

Natal com Maria (2)

Cronista, em qualquer éter onde teu entendimento lúcido e sofrido esteja receba esta infeliz notícia… o Natal e o teu Recife continuam barulhentos, disformes, incoerentes com a poesia que se desprende de suas pontes, rios e praças. Fragmento de CARNAVAL ANTIGO (por Antônio Maria) “No Recife, o Carnaval começava no Natal. Ou melhor, não havia…

Sonoleneto n° -1 ou o Pedágio do Sono

No canto do dia a letra cúmplice desenha-se em poesia. Em artífice gozo massacro meu corpo já sem energia. Caronte com o verso requer seu denário mal soldo diário preço do descanso Quer sono, Poeta? Bem caro Isso custa. Escreve, cala tua cuca, Deita, descansa.   (Recife, 10 de Dezembro de 2011, aniversário de 91…

Os Haveres de Vinícius de Moraes

Diante de um lamentável mundo que, crescendo, desaba, Vinícius de Moraes, agasalhado de poesia e música, soube não rumar para o fim e traçar para si um eterno recomeço.  Soube também nos ensinar o caminho. Confrontado com as vicissitudes de um mundo que, já em seu tempo, opunha a vida cotidiana (redundante- mente repleta de…

Brasão de Letra

Eu me chamo Pedro. É tudo o quanto sei de minha genealogia, mas já há aí legado demais.

Atualização

Atualizado o post Monstrengo com a narrativa do poema por Paulo Autran. Confiram aqui.

07 de Setembro

Tentei passar o dia de modo divertido, às voltas com a poesia de Ascenso e longe da balbúrdia criada pela massa. Havia decidido não escrever nada sobre essa festa odiosa, mas são 23h 40min e ainda há barulho de festa, música e fogos promovido por meus festivos conterrâneos. Escrevo então nessa postagem forçada compelido pelas…

Breve Ponderação sobre o Trem de Ascenso

Composto com a mesma cadência do som do comboio arrastando-se melodiosamente pelos trilhos, o poema de Ascenso além da beleza prosódica traz o registro de um mundo lindo que não mais existe. O entremeio obscuro (entre os iluminados das cidades) onde cabiam suposições mágicas de Caiporas e Pais-da-Mata foi substituído por um universo de certezas…

Poesias em Áudio de Ascenso Ferreira

Iniciando as homenagens ao meu querido Ascenso, figura já tão presente neste Blog, atualizei duas postagens anteriores acrescentando-lhes o áudio da narrativa dos poemas trazidos pelos posts (os poemas A Chama e Nordeste). Para conferir novamente tudo o que já se disse por essas terras liturais sobre Ascenso Ferreira clique aqui. Ainda hoje mais da…

O Nascimento da Nova França

É de uma doçura às vezes fácil isso de ir aprendendo devagar e displicentemente a se guiar nesta vida tropeçando o mínimo. Às vezes, entretanto (quase sempre), viver se mostra uma coisa que vai acontecendo triste e propensa ao naufrágio cotidiano no mar viscoso do todo dia. Qual é então o valor de prosseguir nessa…

Caminho de Casa

Sinto um ardor de amante pelo caminho que me leva à cidade onde nasci. Percorri tal caminho, transido de amor macio, durante as festas do Filho de Isabel – festa das fogueiras e luzes – em busca de alguma chama da perdida infância que porventura ardesse ainda. Nas veredas percorridas no intenso caminho interior que…