Arquivo da tag: Ferreira Gullar

O Terceiro Frio da Rússia

“- Te levo comigo”, disse Ribamar sob o frio implacável do inverno moscovita. Nevava fortemente sobre a capital e sob os enamorados se avolumava um pesado e branco manto de uma transparência alva que, em verdade, os iria enlutar. A … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Conto | Marcado com , , , | 10 Comentários

O Fantasma de Arcoverde

Um relâmpago me atinge bem agora em algum canto verde da alma. Chega um momento na vida de um homem em que ele simplesmente senta numa poltrona e se dá por recordar (Drummond again). O relâmpago é imagem desse movimento … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Diário, Ec-sistire, Passagem das Horas, Vida na Polis | Marcado com , , , , , | 4 Comentários

Relva Verde Relva (por Ferreira Gullar)

“Dentro de mim – mas onde? no céu da boca? debaixo da pele? – fulge de repente um largo verde esquecido dentro de mim ou fora (em algum lugar nenhum) de mim um largo como se fosse um lago e … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Mundo, vasto mundo..., Procura da Poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Por Você Por Mim – Fragmento (por Ferreira Gullar)

“A noite, a noite, que se passa? diz que se passa, esta serpente vasta em convulsão, esta pantera lilás, de carne lilás, a noite, esta usina no ventre da floresta, no vale, sob os lençóis de lama e acetileno, a … Continuar lendo

Publicado em Ec-sistire, Passagem das Horas | Marcado com , , , | 2 Comentários

Um Pouco Antes (por Ferreira Gullar)

“Quando já não for possível encontrar-me em nenhum ponto da cidade ou do planeta pensa ao veres no horizonte (…) uma nesga azul de céu que resta alguma coisa de mim por aqui Não te custará nada crer que sorrio … Continuar lendo

Publicado em Diário, Passagem das Horas | Marcado com , , | 2 Comentários