Arquivo do mês: junho 2011

Profundamente

Como Drummond sou Fazendeiro de Ar. Meu roçado é de palavras, meu gado de ilusão (que foge continuamente na forma de amarga desilusão, verdadeiro e natural sentimento do mundo). Recolhido em minha campânula de vidro sigo meus dias protegido desse … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Amor, Ódio e Ignorância, Diário, Filosofia, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas | Marcado com , , , , , , , | 2 Comentários

O Fazendeiro do Ar

Em brevíssimo documentário, Fernando Sabino retrata seu conterrâneo mineiro estendendo diante de nossos felizardos olhos um pequeno-imenso painel com algumas das questões fundamentais que envolvem a poesia do Grande Itabirano e sua poesia oceânica. O documentário está disponível em DVD … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Aula Inaugural no São João (Borges e Quintana)

Para Quintana, poeta e menino de aquário protegido como eu dos ruídos desse mundo intenso, a dança, como a poesia, apresentava-se como um luzeiro de esperança no oco do tenebroso da existência. Ritmo e poesia acendiam-se iluminando uma vereda na … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Amor, Ódio e Ignorância, Mundo, vasto mundo..., Poesia | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

O Elixir do Amor (fragmento)

“Belo repouso o do ceifeiro! Quando o sol mais ferve e escalda, sob uma faia, aos pés de uma colina, repousar e respirar!  O vivo ardor do meio-dia é apaziguado pelas sombras e pelos rios que correm; mas a chama … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Música, Poesia | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Otacília, Diadorim, Nhorinhá… Diadorim

“Toda moça é mansa, é branca e delicada. Otacília era a mais. Mas, na beira da alpendrada, tinha um canteirozinho de jardim, com escolha de poucas flores. (…) E essa flor é figurada, o senhor sabe? Morada em que tem … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Mundo, vasto mundo... | Marcado com , , , , | 4 Comentários

Aos Namorados do Brasil (por Drummond)

“Dai-me, Senhor, assistência técnica para eu falar aos namorados do Brasil. Será que namorado algum escuta alguém? Adianta falar a namorados? E será que tenho coisas a dizer-lhes que eles não saibam, eles que transformam a sabedoria universal em divino … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Ec-sistire, Literatura, Poesia, Satiricômico | Marcado com , , | Deixe um comentário

ArtistÁrvore

“Ser artista não significa calcular e contar, mas sim amadurecer como a árvore que não apressa a sua seiva e enfrenta tranqüila as tempestades da primavera, sem medo de que depois dela não venha nenhum verão. O verão há de … Continuar lendo

Publicado em Ec-sistire, Literatura | Marcado com , | Deixe um comentário