Arquivo da tag: Paulo Autran

Eu, etiqueta (por Carlos Drummond de Andrade)

“Em minha calça está grudado um nome Que não é meu de batismo ou de cartório Um nome… estranho. Meu blusão traz lembrete de bebida Que jamais pus na boca, nessa vida, Em minha camiseta, a marca de cigarro Que … Continuar lendo

Publicado em Ec-sistire, Literatura, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas, Poesia, Vida na Polis | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Vinícius, Poeta do Encontro (por Otto Lara Resende)

“Homem de bem com a vida, a favor da vida. A quem a vida nada se nega. Criador de um lirismo em prosa e verso, falado e cantado, e sempre de exaltação a vida. A canção em Vinícius nasce de um … Continuar lendo

Publicado em Corpo, Crônicas, Literatura, Música, Poesia | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Poema Enjoadinho (por Vinícius de Moraes)

“Filhos… Filhos? Melhor não tê-los! Mas se não os temos Como sabê-lo? Se não os temos Que de consulta Quanto silêncio Como os queremos! Banho de mar Diz que é um porrete… Cônjuge voa Transpõe o espaço Engole água Fica … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Tempo | Marcado com , , , | Deixe um comentário

A Partida (por Augusto Frederico Schmidt)

“Quero morrer de noite. As janelas abertas Os olhos a fitar a noite infinda Quero morrer de noite. Irei me separando aos poucos Me desligando devagar. A luz das velas envolverá meu rosto lívido. Quero morrer de noite. As janelas … Continuar lendo

Publicado em Corpo, Ec-sistire, Música, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas, Poesia | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

O Principezinho (por Drummond)

“Estava o principezinho sentado, com as mãos e a cabeça sobre os joelhos, e dormia. A seu lado, brinquedos esperavam: boneca de plumas, o lhama, a bolsa contendo pequeninas coisas. O sono era tão mineral que o principezinho se deixou … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, Passagem das Horas | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Pequena Crônica Policial (por Mario Quintana)

“Jazia no chão, sem vida, E estava toda pintada! Nem a morte lhe emprestara A sua grave beleza… Com fria curiosidade, Vinha gente a espiar-lhe a cara, As fundas marcas da idade, Das canseiras, da bebida… Triste da mulher perdida … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, Literatura, Poesia, Quadrante | Marcado com , , , | 4 Comentários

História pra Mineiros de Todos os Estados

Minas há em mim, há de modo total. Um fantasma mineiro me assombra desde minha já perdida infância me recordando que não pertenço aos baixios de uma cidade que esqueceu sua delicadeza nas montanhas. Um dos privilégios que tenho no … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Crônicas, Diário, Ec-sistire, Literatura | Marcado com , , , , , , | 10 Comentários