O Dia Deu em Chuvoso (por Fernando Pessoa)

“O dia deu em chuvoso. A manhã, contudo, esteve bastante azul. O dia deu em chuvoso. Desde manhã eu estava um pouco triste. Antecipação! Tristeza? Coisa nenhuma? Não sei: já ao acordar estava triste. O dia deu em chuvoso. Bem sei, a penumbra da chuva é elegante. Bem sei: o sol oprime, por ser tão…

Chove? Nenhuma Chuva Cai… (por Fernando Pessoa)

“Chove? Nenhuma chuva cai… Então onde é que eu sinto um dia Em que ruído da chuva atrai A minha inútil agonia ? Onde é que chove, que eu o ouço? Onde é que é triste, ó claro céu? Eu quero sorrir-te, e não posso, Ó céu azul, chamar-te meu… E o escuro ruído da…

Chove. Há Silêncio. (por Fernando Pessoa)

“Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva Não faz ruído senão com sossego. Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva Do que não sabe, o sentimento é cego. Chove. Meu ser (quem sou) renego… Tão calma é a chuva que se solta no ar (Nem parece de nuvens) que parece Que não é…

A Noite Dissolve os Homens (por Drummond)

“A noite desceu. Que noite! Já não enxergo meus irmãos. E nem tão pouco os rumores que outrora me perturbavam. A noite desceu. Nas casas, nas ruas onde se combate, nos campos desfalecidos, a noite espalhou o medo e a total incompreensão. A noite caiu. Tremenda, sem esperança… Os suspiros acusam a presença negra que…

Bom Dia

CANÇÃO PARA ÁLBUM DE MOÇA (por Carlos Drummond de Andrade) “Bom dia: eu dizia à moça que de longe me sorria. Bom dia: mas da distância ela nem me respondia. Em vão a fala dos olhos e dos braços repetia bom-dia a moça que estava de noite como de dia bem longe de meu poder…

Aquela mulher do demo

Disponibilizei no post onde transcrevo o texto de Caso do Vestido o áudio da narração feita pelo próprio Drummond. Na narrativa grave de seu autor, sentimos pungentemente como a dona de longe, antes mergulhada em soberba, foi inteiramente desfalcada em nome do que fatalmente cede na continuidade do amor. “Eu não tinha amor por ele,…

Segredo (por Drummond)

“A poesia é incomunicável. Fique torto no seu canto. Não ame. Ouço dizer que há tiroteio ao alcance do nosso corpo. É a revolução? o amor? Não diga nada. Tudo é possível, só eu impossível. O mar transborda de peixes. Há homens que andam no mar como se andassem na rua. Não conte. Suponha que…

Obrigado

Tenho recebido generosíssimas apreciações sobre as postagens do meu blog que, já desde bem cedo, alcançou (ultrapassou, até) qualquer expectativa que eu pudesse ter em princípio. Chovendo mais um pouco no molhado do que sempre repito, construo o barro do sentido desse blog para nele atolarmos todos os nossos pés: esse espaço existe para tentar…