Arquivo da tag: Amor

O dia de que mulher?

Não há somente beleza na afirmação de Platão de que “o tempo é a imagem móvel da eternidade”. Há também, nessa postulação de capital importância, a menor síntese do ocidente em seu percurso oscilante entre uma e outra proposta de … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Amor, Ódio e Ignorância, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

O Amor e as Abelhas

“Com as coisas podemos comportar-nos sem amor: podemos cortar árvores, fazer tijolos, forjar aço sem amor; mas com seres humanos não podemos comportar-nos sem amor, assim como não podemos lidar sem precaução com as abelhas” (Ressurreição – Liev Tolstói)

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Carta 36 (de Fernando Pessoa a Ophélia de Queiroz)

Ophelinha, Agradeço a sua carta. Ela trouxe-me pena e alívio ao mesmo tempo. Pena, porque estas coisas fazem sempre pena; alívio, porque, na verdade, a única solução é essa – o não prolongarmos mais uma situação que não tem já … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Ec-sistire | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Lira do Amor Romântico ou A Eterna Repetição (por Carlos Drummond de Andrade)

Atirei um limão n’água e fiquei vendo na margem. Os peixinhos responderam: Quem tem amor tem coragem. Atirei um limão n’água e caiu enviesado. Ouvi um peixe dizer: Melhor é o beijo roubado. Atirei um limão n’água, como faço todo … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Ec-sistire | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Saravá, Vinícius

Vinícius completa hoje 100 anos de seu nascimento e 95 de poesia. Em sua precocidade, talvez ciente do muito a ser feito no fornecimento da beleza com que iria nos cercar, inicia-se poeta aos 5 anos, com caderninho de poemas … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Música, Poesia | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Toada do Amor (por Carlos Drummond de Andrade)

“Toada do Amor E o amor sempre nessa toada! briga perdoa perdoa briga. Não se deve xingar a vida, a gente vive, depois esquece. Só o amor volta para brigar, para perdoar, amor cachorro bandido trem. Mas, se não fosse … Continuar lendo

Publicado em Amor, Ódio e Ignorância | Marcado com , , , , | 2 Comentários

À Une Raison (por Arthur Rimbaud)

“Un coup de ton doigt sur le tambour décharge tous les sons et commence la nouvelle harmonie. Un pas de toi, c’est la levée des nouveaux hommes et leur en-marche. Ta tête se détourne : le nouvel amour ! Ta … Continuar lendo

Publicado em Corpo, Ec-sistire, Literatura, Poesia | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário