Relva Verde Relva (por Ferreira Gullar)

Verde município de Arcoverde. Tal como lembro de minha infância, cidade que é mais céu que chão

“Dentro de mim – mas onde?
no céu
da boca? debaixo
da pele? –
fulge de repente um largo verde esquecido

dentro de mim
ou fora
(em algum lugar nenhum)
de mim
um largo como se fosse um lago
e quase a transbordar de verde

ouvia a miúda algazarra da relva
rente ao chão

ah aquela inesperada toalha verde viva
em meio à cidade em ruínas!
(o relâmpago me atinge agora numa cozinhaq dea rua Duvivier)

De tais espantos somos feitos.”

(Trecho do recém lançado “Em Alguma Parte Alguma”, de Ferreira Gullar pela José Olympio, p. 42)

Anúncios

Sobre Pedro Gabriel

www.lituraterre.com
Esse post foi publicado em Literatura, Mundo, vasto mundo..., Procura da Poesia e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s