Feliz JazzTown

Como última postagem do odioso Natal, celebração da culpa onde uma amarga tristeza se traveste de uma caricata alegria e um recitado sentimento de confraternização universal que se contradiz a cada mínimo gesto, apresento o Jazz, sempre ele, sobretudo ele a nos curar. Trago três faixas temáticas de minha maior predileção. Iniciando com Charlie Parker, trago o Bird e seu Quintet formado por Kenny Dorham, Al Haig, Tommy Potter e Max Roach (além do próprio Bird, lógico). Ao pronunciar o nome de Charlie Parker a qualquer iniciado do Jazz se ouvirá suspiros, dispnéia, grunhidos e demais expressões eróticas. Nesta faixa o Quintet executa o clacissíssimo White Christmas, gravado ao vivo no “Royal Roost”, em Nova Iorque, na noite de Natal de 1948.

Na sequência Chet Baker, com seu trompete empapado de chocolate e rasgado como se tivesse arame farpado em lugar de cordas vocais cortando o ar que sai de sua laringe, executa Silent Night, calando consigo todo o alarido comum desta época barulhenta e artificial.

Por fim Oscar Peterson executa Jingle Bells em seu Christmas Album tornando nossa noite verdadeiramente feliz.

Anúncios

Sobre Pedro Gabriel

www.lituraterre.com
Esse post foi publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Amor, Ódio e Ignorância, Fraternidade, Jazz, Música, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s