A Flor e a Náusea (por Drummond)

image

Foto enviada pela minha amiga da Orquídea em questão, bela espécime catalogada como Orquídeos Therésias Bellorumvarandatio

Uma amiga me surpreende com a imagem de uma orquídea que, serelepe, ousou nascer em sua varanda. Varanda de metrópole com barulho, poluição e um cogumelo atômico prestes a explodir a qualquer segundo. Me recordei de um antigo poema de Drummond (A Flor e a Náusea) que de pronto compartilhei com ela. “Furar o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio” não seria uma bela forma de dar nome ao trabalho do Psicanalista? Também nós não florescemos quando, serenos, insistimos?

A FLOR E A NÁUSEA
(por Carlos Drummond de Andrade)

“Uma flor nasceu na rua!
Passem de longe, bondes, ônibus, rio de aço do tráfego.
Uma flor ainda desbotada
ilude a polícia, rompe o asfalto.
Façam completo silêncio, paralisem os negócios,
garanto que uma flor nasceu.
É feia. Mas é flor. Furou o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio.”

Assinatura Drummond

Anúncios

Sobre Pedro Gabriel

www.lituraterre.com
Esse post foi publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Poesia, Vida na Polis e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s