No meio do caminho… (por Carlos Drummond de Andrade)

“No meio do caminho tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho tinha uma pedra no meio do caminho tinha uma pedra. Nunca me esquecerei desse acontecimento na vida de minhas retinas tão fatigadas. Nunca me esquecerei que no meio do caminho tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho no…

Eu? Passarinho!

“Minha poesia sou eu mesmo, nunca escrevi uma linha sequer que não fosse uma confissão”, revela Quintana em uma das muitas entrevistas chatas que concedeu (quando invariavelmente lhe perguntava quantos livros escreveu, se a vida lhe trouxe satisfação e qual o recado que deixa aos moços). Mestre na arte de driblar a superficialidade levando a…

Meu (nosso) Quintana

MEU QUINTANA (por Manuel Bandeira) “Meu Quintana, os teus cantares Não são, Quintana, cantares: São, Quintana, quintanares. Quinta-essência de cantares… Insólitos, singulares… Cantares? Não! Quintanares! Quer livres, quer regulares, Abrem sempre os teus cantares Como flor de quintanares. São cantigas sem esgares. Onde as lágrimas são mares De amor, os teus quintanares. São feitos esses…