Enquanto houver Cecília…

A poesia nos espreita de perto e de longe. No caso do meu querido Quintana o vigiou desde muito cedo. Ainda quando criança a poesia o encarava do lado de fora do vidro por onde escorria a chuva que não molhou o seu rosto de menino crescido num aquário de janelas. Posteriormente o assolou nas…