Chuva com Lembranças (por Cecilia Meireles)

Um mimo meirelesco a todos os que, como eu, vêem ressurgir das vielas escuras da memória, arrastadas por torrentes de chuvas, antigas lembranças que ainda nos assombram de perto ou de longe.

Enquanto houver Cecília…

A poesia nos espreita de perto e de longe. No caso do meu querido Quintana o vigiou desde muito cedo. Ainda quando criança a poesia o encarava do lado de fora do vidro por onde escorria a chuva que não molhou o seu rosto de menino crescido num aquário de janelas. Posteriormente o assolou nas…