Poema para a Feira do Livro (por João Cabral de Melo Neto)

Para Ángel Crespo “Folheada, a folha de um livro retoma o lânguido vegetal de folha folha, e um livro se folheia ou se desfolha como sob o vento a árvore que o doa; folheada, a folha de um livro repete fricativas e labiais de ventos antigos, e nada finge vento em folha de árvore melhor…

ArtistÁrvore

“Ser artista não significa calcular e contar, mas sim amadurecer como a árvore que não apressa a sua seiva e enfrenta tranqüila as tempestades da primavera, sem medo de que depois dela não venha nenhum verão. O verão há de vir, mas virá só para os pacientes, que aguardam num grande silêncio intrépido, como se…