Apelo aos Leitores deste Blog

Meu querido Mario Quintana, consolador de nossa milenar inquietação, acalma meu insaciável desejo de reformar os brotos de meu humilde roçado assegurando que texto algum está pronto ou acabado exceto em duas ocasiões igualmente acidentais: morte do autor e necessidade de publicação. O reco-reco de seu dito repete-se delicioso em meu ouvido a cada nova…