Arquivo do mês: maio 2012

Poema para a Feira do Livro (por João Cabral de Melo Neto)

Para Ángel Crespo “Folheada, a folha de um livro retoma o lânguido vegetal de folha folha, e um livro se folheia ou se desfolha como sob o vento a árvore que o doa; folheada, a folha de um livro repete … Continuar lendo

Publicado em Literatura | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Dia do Trabalho com Drummond: Elegia 1938

Não somente em homenagem aos oito operários enforcados em Chicago (saudados anualmente por todo o mundo nesse primeiro de maio), mas em cumplicidade a todos os demais sufocados pelo tédio da vida que se apega em nós oleosamente como gordura … Continuar lendo

Publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Literatura, Mundo, vasto mundo..., Passagem das Horas | Marcado com , , , , , , , , , , , | 1 comentário

A Incapacidade de Ser Verdadeiro (por Carlos Drummond)

“Paulo tinha fama de mentiroso. Um dia chegou em casa dizendo que vira no campo dois dragões da independência cuspindo fogo e lendo fotonovelas. A mãe botou-o de castigo, mas na semana seguinte ele veio contando que caíra no pátio da … Continuar lendo

Publicado em Conto, Literatura | Marcado com , , , , , | 4 Comentários