Poema de Dia dos Pais

Túmulo do Rei Pedro, Rei D. Pedro I, oitavo Rei de Portugal que reinou entre os anos de 1357 a 1367 sob os codinomes de "O Justiceiro", "O Cruel" e "O-Até-ao-Fim-do-Mundo-Apaixonado".

Poema de Finados (por Manuel Bandeira)
———————————————–

“Amanhã que é dia dos mortos
Vai ao cemitério. Vai
E procura entre as sepulturas
A sepultura de meu pai.

Leva três rosas bem bonitas.
Ajoelha e reza uma oração.
Não pelo pai, mas pelo filho:
O filho tem mais precisão.

O que resta de mim na vida
É a amargura do que sofri.
Pois nada quero, nada espero.
E em verdade estou morto ali.”

About these ads

Sobre Pedro Gabriel

www.lituraterre.com
Esse post foi publicado em (... LITURAS PRÓPRIAS ...), Literatura e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Poema de Dia dos Pais

  1. Carla Graziela disse:

    Lindo!

  2. Pingback: Informe aos Lituronautas | lituraterre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s