Devagar, o Tempo…

“Devagar, o tempo transforma tudo em tempo. O ódio transforma-se em tempo. O amor transforma-se em tempo. A dor transforma-se em tempo. Os assuntos que julgamos mais profundos, mais impossíveis, mais permanentes e imutáveis, transformam-se devagar em tempo. Por si só, o tempo não é nada. A idade de nada é nada. A eternidade não existe. No entanto, a eternidade existe. Os instantes dos teus olhos parados sobre mim eram eternos. Os instantes do teu sorriso eram eternos. Os instantes do teu corpo de luz eram eternos. Foste eterna até ao fim.”

José Luís Peixoto, poeta e dramaturgo português, em “A Casa, A Escuridão”

About these ads

Sobre Pedro Gabriel

www.lituraterre.com
Esse post foi publicado em Amor, Ódio e Ignorância, Ec-sistire, Tempo e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s